Outubro Rosa - Conheça mais sobre o movimento e sua história

05/10/2020 20:35

Apesar das campanhas e da grande divulgação sobre o assunto a cada ano, ainda existem muitas dúvidas e apreensões em relação ao câncer de mama. É uma doença que requer tratamento intenso e falar sobre o assunto pode ajudar a esclarecer os mitos e verdades, diminuindo o medo e a insegurança que cercam o tema.

Além de claro, reforçar a importância da prevenção. Você sabia que um em cada três casos pode ser curado se for descoberto logo no início? Portanto, é fundamental conversar sobre o assunto com amigos e familiares, pois todos podem ajudar a conscientizar sobre os exames periódicos.

História

O movimento teve início no ano de 1990 em um evento chamado "Corrida pela cura" que aconteceu em Nova Iorque, para arrecadar fundos para a pesquisa realizada pela instituição Susan G. Komen Breast Cancer Foundation.

O evento ocorria sem que houvessem instituições públicas ou privadas envolvidas. A medida em que cresceu, outubro foi instituído como o mês de conscientização nacional nos Estados Unidos, até se espalhar para o resto do mundo.

A primeira ação no Brasil aconteceu em 2002, no parque Ibirapuera, em São Paulo. Com a iluminação cor-de-rosa do Obelisco Mausoléu ao Soldado Constitucionalista.

Entenda mais:

Principais sinais e sintomas:

Grumo (nódulo) fixo, endurecido e geralmente indolor;

Pele do peito avermelhada, retraída ou semelhante a casca de laranja;

Mudanças nos mamilos;

Pequenos nódulos na região sob os braços (axilas) ou pescoço;

Saída espontânea de fluido do mamilo.

Caso identifiquem alguma alteração, as mulheres devem procurar imediatamente um serviço de saúde para receber orientações.

Além de estar atenta ao próprio corpo, também é recomendado fazer o ultrassom das mamas uma vez por ano a partir dos 25 anos. mulheres de 50 a 69 anos devem realizar uma mamografia de rastreamento (quando não há sinais ou sintomas) a cada dois anos. Este exame pode ajudar a identificar o câncer antes do início dos sintomas. A mamografia é uma radiografia da mama feita por um aparelho de raios X denominado mamógrafo, capaz de identificar alterações suspeitas. Mulheres com alto risco devem conversar com seu médico para avaliar se devem fazer outros exames.

Prevenção

Não fume - Ao fumar, são liberadas no ambiente mais de 4.700 substâncias tóxicas e cancerígenas que são inaladas por fumantes e não fumantes.

Evite o consumo de bebidas alcoólicas - Estudos mostram que consumir bebidas alcoólicas aumenta o risco de desenvolver diferentes tipos de câncer como boca, faringe, laringe, esôfago, estômago, fígado, intestino e mama.

Alimentação saudável protege contra o câncer  -  Uma ingestão rica em alimentos de origem vegetal como frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, e pobre em alimentos ultraprocessados, como aqueles prontos para consumo ou prontos para aquecer e bebidas adoçadas, pode prevenir o câncer.

Mantenha o peso corporal adequado - Manter um peso saudável ao longo da vida é uma das formas mais importantes de se proteger contra o câncer.

Evite o uso de hormônios sintéticos - Exposição a hormônios, especificamente o estrogênio, pode aumentar o risco de uma mulher desenvolver câncer de mama.

Pratique atividades físicas - Você pode, por exemplo, caminhar, dançar, trocar o elevador pelas escadas, levar o cachorro para passear, cuidar da casa ou do jardim ou buscar modalidades como a corrida de rua, ginástica, musculação, entre outras.

Visite o seu médico regularmente e faça os exames de rotina - Vale ressaltar que o câncer de mama não tem apenas uma causa e o diagnóstico precoce ainda é o maior aliado para que o tratamento seja eficaz. 

Compartilhe esse conteúdo com quem você ama, vamos ajudar a conscientizar sobre a importância dos exames de rotina!